Jogos e Poemas #7: The Crooked Man


Era uma vez um homem estranho,
Que andava em um caminho torto.
Ele estava cabisbaixo, devido a todo o arranho,
Não sorria, nem chorava, apenas havia seriedade em seu rosto.

Esse homem estava indo para casa,
Depois de ter sido demitido do trabalho.
Não tinha filhos, amigos, nem esposa,
Não tinha ninguém que pudesse acalmá-lo.

Sua mente viajava à procura de uma solução,
Não havia mais motivos para viver.
Ele aguardava o tempo passar como folhas caindo ao chão,
Até que chegasse sua hora de morrer.

Mas o tempo não passa rápido, 
Era desgastante continuar respirando.
Então ele procurou medidas ávido,
Para finalmente acabar com o seu sofrimento.

Em uma noite chuvosa e em meio às sombras,
O homem subiu em uma cadeira e amarrou uma corda no ventilador.
Ele fechou os olhos e chorou pela assombra,
Chutou a cadeira e sentiu a corda romper seu pescoço, sentindo toda a dor.

Em meio ao seu quarto estava corpo pendurado,
Sua alma finalmente sentia o conforto.
Ele não hesitou mesmo sentindo a dor de seu pescoço fraturado,
Seus ossos haviam quebrado, deixando todo torto.

Comentários

Popular Posts