Hora do Cappuccino #13


Sacrifício

A gente aprende a ser forte quando o nosso corpo cai, mas o nosso espírito continua a lutar.
Lutar por um mundo onde não sejamos corpos ocupando lugar.
Lugar na fila para uma vida sem indícios de conquistas a cobiçar.
Cobiçar uma vida de luas e estrelas num mundo onde só cometas podem passar.

A vida é curta, dizem todos, porque viveram pouco e não aproveitaram.
Aproveitaram os segundos para fazerem merda ao invés de amar aqueles que os amavam.
Amavam a crença, religião e tez de quem era de sua mesma raça que dizia-se plena.
Leve como pena, dura como tábua, atravessa o rio e não para em águas rasas.
Esquece os caminhos obscuros de florestas amaldiçoadas.
Que pregam peças em quem as corta e destrói várias vidas sacrificadas pela sobrevivência das nossas.

Não sabemos aproveitar o tempo, apenas sabemos ver as horas.
Para lembrar de nossas mulheres que ergueram esse mundo e
Os iluminaram como paredes repletas de tochas.
Que mostram o caminho para um mundo melhor, sem ignorância e sacrifícios.
Um caminho em que seremos libertos, eu, você e nossos filhos.

A poeira entope o nariz de quem o pulmão é tido como alvo,
Mas não a mim, passo pelo vintage como se passasse pelo inferno e voltasse são e salvo.
Não tenho medo do mato, pois é ele que me ajuda a sair dessa terra hipócrita,
De pessoas infantis que rasgam dinheiro e plantam decepções e outras cabeças nessa horta.

Ninguém se importa se você é Deus ou o Diabo, só querem algum D que te dê Dinheiro e Dignidade.
A gente sofre a cada dia só por amar quem nos ama e até mais,
Não estava escrito em um livro sagrado: "Não matarás"?
É tudo mentira, a gente se esconde atrás de palavras,

Para não fervermos no "inferno" e sofrer como almas desesperadas.

0 Comentários