De álbuns a poesias, nº7. Melanie Martinez, Álbum: Cry Baby.


Melanie Martinez
Álbum: Cry Baby

Imagem relacionada

Carrossel de Desilusões

Bebês choronas sempre necessitam de alguma coisa para acalmá-las,
Seja uma chupeta, um brinquedo, uma cadeira, ou um urso para abraçá-las.
De um jeito ou de outro nada pode te impedir de rolar suas lágrimas,
Pelo seu rosto corado de raiva por apenas ter pessoas que a machucava.

Ainda bem que eu sempre tive imaginação para sair desse mundo,
E fugir para minha casa de bonecas perfeita e sem rachaduras.
A verdade na verdade é uma coisa que se esconde em muitos rostos imundos,
Obscuros e imaturos que arrancam seus corações por causa da amargura.

Não me lembro de mais nada além daquela garota,
A qual eu sempre quis envenenar a mamadeira.
Seria um sonho ver o sangue escorrer dessa criança idiota?
Eu só preciso amordaçá-la e prendê-la na cadeira.

Te levarei para passear no meu carrossel de desilusões,
Você sempre vai achar que ele te ama,
Mas só estará acreditando naquilo que você quer que seja verdade.
Não minta para si mesma achando que ele irá te querer nua em sua cama.

Você é uma analfabeta e ele um garoto alfabetizado,
Aprenda a ler a palavra "desista" e tatue seu significado na testa.
Ele é rico e bonito e você é nojenta e um fardo,
Ele não te ama e só quer por as mãos em você quando estiver bêbada numa festa.

Ele te envenenará com sabão e você não vai poder gritar,
Não acredite nos meninos, eles só dirão o que você quer ouvir.
Ele fará de tudo para arrancar a inocência de dentro da sua alma,
Você vai tentar gritar, mas não pode sem sua voz, apenas tente fugir.

Corra o mais rápido como na primeira vez que aprendeu a andar de bicicleta,
As rodinhas de treino te sustentando e seu pai a empurrando pela bunda.
Era o que ele gostava de fazer, tocar em você como se visse ouro em uma maleta,
Ele sujou você tantas vezes que você nem aguentava sustentar sua mente imunda.

Você nunca teve uma festa de aniversário decente, suas festas eram de dar pena,
Presentes? Que tal sentimentos obscuros? Amigos? Os cantos vazios.
Você nunca foi de tantos amigos, até porque quantidade não diz qualidade,
Tantos anos envolvida em falsos amores e você sempre se entregava aos risos.

Esses homens irão olhar para o que você tem aí embaixo dessa saia,
Não ligam para o coração, sempre dizendo "peguei você",
Pois isso não mata sua fome por inocência.
É preciso saber que o espírito deve continuar lutando mesmo que seu corpo caia,
Pois o que vale é o fato de você ter lutado para tornar o respeito uma tendência.

Imagina sua mãe te esperando em casa com leite quentinho e biscoitos de chocolate,
Quem dera se sonhos fossem desejos prestes a se realizar, quem sabe você parasse de chorar.
Ou talvez seu corpo parasse de doer ou seu coração finalmente parasse de bater,
A única coisa em que você consegue pensar é em quando você vai poder dormir em paz.

É difícil respirar mais uma vez quando não se consegue nem acalmar a própria alma,
Se eu pelo menos pudesse escolher em que inferno viver, escolheria a solidão.
"Acalme ela!" imagino o doutor do manicômio gritando, e meus braços em sua palma,
Eu queria sentir o veneno andar por minhas veias depois de uma horrível injeção.

Eu tinha uma boneca chamada Senhora Cabeça de Batata, do filme Toy Story,
Seria divertido se fosse verdade, porque assim eu finalmente teria amigos.
Eu me via naquele brinquedo, um rosto horrível, uma pele nojenta, um sorriso idiota,
Não te vida, não reagia, não estava viva... De fato se parecia comigo.

Eu só queria fugir para um País das Maravilhas,
E ter alguém que entenda meu psicológico fudido.
Um Chapeleiro Maluco que me esconda em seu bule,
E não deixe que nenhuma Rainha me arranque daquele mundo escondido.

Comentários

Popular Posts