Pride To Be #1: Botãozinho do orgulho | Mês LGBT | Os dois lados de um pastor



 Oi pessoal, eu sou o Banshuu!
 Hoje estou aqui para estrear uma nova série aqui no blog em homenagem ao nosso vale e a nossa comunidade LGBTQIA+, Pride To Be.
 Pride To Be significa "Orgulho de Ser" e eu tenho MUUUUITO orgulho de ser homossexual assumido, pois isso fez-me libertar de um monte de correntes, padrões, regras e escolhas. Não se deve prender-se a uma opinião contrária a sua, sendo que essa opinião diz que você não pode ser quem você é ou/e quem você quer ser porque uma, duas ou até milhões de pessoas não querem. A vida é sua e se tem uma coisa que os meus pais celestiais me deram foi o livre-arbítrio. Livre-arbítrio para amar quem me ama, para fazer o que eu quero e ser quem eu quiser, é por isso que amo meus pais Sol e Lua por terem me concedido essa vontade enorme de mudar as regras que impõem à nós LGBTQIA+ que sempre andemos em fila, sempre respeitemos as autoridades e pessoas mais velhas. Eu respeito quem me respeita, e se você não me respeita então é melhor sair da minha vista senão eu arranco esse seu bigode mal feito sua hétero ridícula.
 Nessa série nova eu irei abordar notícias e informações sobre o Vale e a comunidade LGBTQIA+, portanto, vamos para as notícias!

Botãozinho do orgulho no Facebook

 Não é de hoje que nós percebemos a mudança que algumas plataformas tiveram nesse mês tão especial. A primeira mudança que teve foi o botãozinho do orgulho que surgiu como que descendo de para-quedas e aterrissou nesse chão para nunca mais ir embora. Mark Zuckerberg disse que o botãozinho de orgulho será permanente no Facebook (o que me deixou muito feliz!).

Mês LGBT

  E esse mês de junho hein? Muitas emoções e muita militância (porque nós é dessas né! jlkjkljlkjkl) O mês da parada de orgulho LGBT é junho e eu estou aqui me mordendo de raiva porque não vou poder ir 😡. O mês de junho envolve muita dor, perdas, tragédias e mortes envolvendo os LGBTs, pois a primeira passeata de combate à homofobia foi numa época de completa intolerância ao amor entre pessoas do mesmo sexo. Graças a força e determinação da nossa comunidade, hoje uma grande porcentagem da população mundial é de LGBTs (espero que pelo menos um bilhão ou dois de pessoas sejam LGBTs, assim teria um impacto maior na sociedade.), nós suportamos tanta merda até os dias de hoje e ainda somos muito menosprezados junto de nossas irmãs mulheres e a população negra desse mundo. Porém, com foça e união nós vamos sim dar a volta por cima!


Pastor é expulso de programa após pisar em bandeira LGBT


No programa El Interruptor, da rede de TV Via X, do Chile, que foi ao ar nesta segunda-feira (19), o convidado era o pastor Javier Soto. Conhecido por sua postura de enfrentamento da agenda LGBT, ele seria entrevistado pelo apresentador José Miguel Villouta. Desde o início, Soto deixou claro que estava ali para “defender o que diz a Palavra de Deus”. Para surpresa de Villouta, logo após ser apresentado, o líder religioso começou a fazer uma oração, onde pedia que Deus “curasse quem ele tinha de curar”. Assumidamente homossexual, o apresentador se disse ofendido pelo gesto do pastor, a quem acusou de tentar “impor” suas crenças e ser mal-educado, uma vez que muitos que estavam assistindo o programa podiam não concordar com suas crenças.
Em tom de desafio, Javier Soto sacou do bolso uma bandeira com as cores do arco-íris, conhecido símbolo do movimento gay no mundo todo. O pastor a colocou como um tapete e disse que costumava usar aquele “trapo de imundícia” para limpar os pés e fazia o gesto para deixar “o programa mais divertido”. A bandeira trazia a inscrição “candidatos presidenciais que são a favor da agenda diversidade sexual”. O pastor fez questão de dizer “Hoje estamos em uma forte campanha denunciando, como igreja evangélica, os candidatos que estão apoiando esta agenda”. Isso deixou Villouta ainda mais irritado, fazendo um desabafo: “Eu sou gay, este é o meu programa e isso me parece ser uma falta de respeito”. O líder evangélico insistiu que não estava ofendendo o apresentador, mas insistiu que ele precisava “ser curado, fortalecido e bem aconselhado”. Ao ouvir os protestos do dono do programa, a diretora de conteúdo do canal, entrou no estúdio e exigiu que o pastor recolhesse a bandeira ou a entrevista não seria feita. Apesar do visível constrangimento, o pastor Javier Soto disse que não voltaria atrás em sua postura. Ele acabou sendo convidado a se retirar do estúdio e o programa foi interrompido.
Pastor participa da Parada Gay de São Paulo e critica Feliciano e Malafaia
O pastor José Barbosa Júnior, de Belo Horizonte, foi chamado pelo grupo “Mães Pela Diversidade” a participar da Parada Gay de São Paulo e discursar no trio elétrico. Em sua fala, Barbosa pediu desculpas à comunidade LGBT pelos “ataques” que sofre do movimento religioso, em especial pelos evangélicos. “Eu vim pedir perdão a toda a comunidade LGBT pelas mazelas que as igrejas evangélicas fizeram com vocês durante todos esses anos”, declarou.
Como integrante do movimento “Jesus cura a homofobia”, Barbosa fez críticas aos pastores mais conhecidos por rebater a agenda gay dizendo que eles não representam todos os evangélicos. “Eu quero dizer e deixar bem claro aqui que Malafaia e Feliciano não representam todos os evangélicos do Brasil. Os evangélicos amam sim e estamos aqui para dizer que toda a forma de amor é abençoada por Deus”, declarou ele. Continuando sua crítica, ele criticou a Bancada Evangélica e saiu em defesa do Estado Laico. “A bancada evangélica é uma vergonha para o evangelho e para todas as igrejas e então força para todos vocês”, declarou.
Espero que tenham gostado dessa nova série. Precisamos mostrar para todos que o amor não deve ser algo rotulado e que a empatia é o mais necessário em tempos de discórdia. Bjss.

Comentários

Popular Posts